Flash Logo.

Contact Us

Norma Delaney
E. Garret Annofsky

675 Witter Gulch
Evergreen, CO 80439 USA

303.679.8878
303.679.8848 fax

norma@newbreath.net

egarret@newbreath.net


Fragmentaçãon de Alma

Em Fevereiro de 1996, eu fui para uma Canalização de Kryon em Seattle. Durante o período de perguntas e respostas, uma senhora altamente perturbada caminhou até o microfone e disse, “Meu nome é Sebrina. Eu acabei de ser liberada do hospital com um diagnóstico de múltipla personalidade; eu gostaria de ter meus garotos de volta.” No momento seguinte ambos Jan e Lee Carroll disseram, “Veja Norma imediatamente!”

Eu me levantei, para que então ela pudesse me localizar, sem nem imaginar o que eu iria encontrar. Nós descobrimos que éramos ambas do sul da Califórnia. Eu dei meu cartão a Sebrina e concordei em me encontrar com ela em minha casa.

Quando Sebrina entrou ela parecia um pouco ansiosa, mas não de forma incomum. Muitas pessoas que estão aborrecidas vêm trabalhar comigo. Nos primeiros poucos momentos um processo de transformação começou, o qual iria definir o nosso trabalho pelos próximos sete anos.

“Oi, eu sou Lucy Belle. Minha mãe está aqui?”

“Não, meu nome é Norma e eu estou feliz por conhecê-la.”

“Se minha mãe não está aqui, então eu não posso conversar com você.” Com isso ela imediatamente desapareceu.

“Olá, meu nome é Charlotte. Quais são as suas credenciais? Você já trabalhou com múltiplos antes? Eles dizem que eu sou uma múltipla, mas é claro que eu sei que eles estão errados.”

“Olá, meu nome é Rhonda. Você pode me ajudar a recuperar meus garotos?”

Tão rapidamente quanto um vinha para falar comigo, outro se seguia. Eles tinham diferentes expressões faciais, maneirismos e posturas físicas. Todos estavam ansiosos para falar comigo, mas nunca pareciam estar cientes do que tinha acabado de partir. Essas meias conversações-foguete continuariam durante toda a sessão.

Finalmente Daniel surgiu através dela, um homem mais velho, que disse que estaria sempre disponível para me ajudar. A postura estável e as calmas palavras dele eram surpreendentes depois de toda a ansiedade dos outros.

Quando Sebrina retornou ela sorriu e disse, “Você vai trabalhar conosco, você vai nos ajudar?” Eu disse a ela honestamente que eu nunca tinha trabalhado com alguém com múltipla personalidade. Eu tinha visto filmes sobre eles, mas nunca tinha lido livros médicos e não conhecia nada do trabalho normalmente feito. Ela disse que atualmente trabalhava com o top psiquiatra de Los Angeles, mas ele não trabalhava com o reino metapsíquico. Ela sabia que esse era o reino com o qual nós teríamos que trabalhar para a integração dela. Ela foi clara que não aceitaria nada menos do que total integração.

Eu disse, “Eu trabalho com uma energia compassiva que parece saber fazer muitas coisas além de qualquer espaço que a minha parte humana conhece. Eu a chamo de Espírito ou reino metapsíquico. Eu tenho trabalhado com esse suporte por muitos anos. Eu verdadeiramente acredito que não há doença que o Espírito não possa auxiliar a pessoa a curar.”

No momento seguinte Garret chegou em casa do trabalho. Já que era comum novos clientes serem atendidos na sala de estar, e nós estávamos lá, Garret entrou e sorriu calmamente, como ele normalmente fazia quando me via com um cliente. Mas no momento seguinte ele ficou pasmo, conforme Sebrina correu até ele e disse, “Oi, eu sou Robbie.”

“Eu sou um garoto e eu gosto de mim. Meu papai diz que apenas homens e garotos têm valor. Eu tenho 4 anos de idade; eu protejo as garotas, e eu sou muito durão. Eu fico de pé para fazer xixi também.”

Garret sorriu e disse, “Olá.”

Nós combinamos de nos reunirmos em duas semanas. Isso começou nossas sessões. Elas eram regularmente salpicadas com diferentes pessoas interiores. Muitos disseram que eles me observaram por algumas semanas antes que eles decidissem conversar comigo. Eles queriam descobrir se eu era “real”.

Eu comecei o trabalho de energia com o corpo físico de Sebrina, na mesa de massagem. Conforme o trabalho progrediu, nós até trabalhamos com respiração de liberação de stress. Sebrina era uma fonte constante de hiperventilação. Eu aprendi que pessoas que foram molestadas sexualmente geralmente não conseguem respirar profundamente em suas barrigas. A confiança é perdida na experiência traumática, e muita paciência é necessária para reconstruí-la.

Com o tempo Sebrina compartilhou partes de sua história. Ela nasceu em um culto satânico e o pai dela era o líder. Ele e a mãe dela estavam muito ansiosos para treiná-la para assumir a liderança, então eles começaram o treinamento no dia em que ela chegou em casa do hospital. A intensidade dessa determinação de a controlar causou uma divisão tão profunda que a Alma dela teve que se dividir para mantê-la viva.

Eu vim a perceber que a maioria das pessoas foram treinadas e manipuladas para se tornarem a criança que os pais querem que elas sejam. O despedaçamento vem de tantas formas sutis, e a fragmentação ocorre frequentemente por pais que pensam que estão agindo por amor. É claro para mim agora que o abuso infantil vem de ensinar as crianças a viverem por regras, ao invés de descobrirem quem e o que elas estão destinadas a ser. Frequentemente as pessoas nunca são encorajadas a florescer. Abuso infantil causa verdadeira fragmentação e despedaçamento. Essas crenças vêm de mais de 20 anos trabalhando com todas as formas de abuso.

Depois de seis meses Sebrina explicou que eu realmente era a pessoa para ajudá-la e era importante para ela começar a próxima fase do trabalho. Ela iria para o seu espaço do coração a fim de se fundir na verdadeira pessoa que ela estava para se tornar. Eu não sabia nessa época que esse era o início da pura integração. Ela explicou que alguém criado a partir dos reinos metapsíquico e físico iria assumir o lugar dela. Ela então foi para dentro para se fundir e começar o alicerce para a cura.

Foi me dito que Serena seria a nova pessoa com a qual eu trabalharia. Dois anos depois ela parou de ver o psiquiatra e parou com todos os medicamentos. Era muito claro para nós duas que tinha chegado o momento para os próximos passos da cura. Com a liderança total do eu Espírito dela nós avançamos. Serena podia perceber que os medicamentos formavam barreiras que mantinham ela presa; ela queria se tornar o seu próprio eu. No início o nosso trabalho era a cada duas semanas. Então passou a ser toda semana e agora nós trabalhamos juntas todo dia. Reconstruir uma alma despedaçada requer foco constante.

Nós passamos esses últimos sete anos integrando fragmentos de pessoas interiores que foram criadas desde o seu nascimento, para lidar com a família dela, a vida dela e o culto. Serena escreveu o texto a seguir, recentemente, conforme ela experienciou totalmente o verdadeiro nascimento dela como esse novo humano especial. Ela está se tornando menos e menos a criança que originalmente nasceu neste corpo.

Nascida

Eu abro meus olhos e vejo a face de Mamãe. Eu estou inconsciente de que eu acabei de nascer no sistema. Eu tenho todo o conhecimento de que eu preciso para viver como uma das pessoas do grupo de vítimas. Não há nenhuma falha externa. Eu sorrio, sabendo que eu gosto dessa senhora. Eu sei que nós estivemos trabalhando na mesa da sala de curas dela. Ela não é Mamãe para mim, ainda. Isso vem muito depois. Ela é Norma. Uma senhora que “eu” encontrei para me ajudar a me curar e integrar. Eu sei de tudo isso, e mais, no momento em que eu abro meus olhos.

Eu vejo toda a experiência de quando eu nasci, a partir da verdade do meu coração. Sebrina disse à Mamãe que era hora de ir para casa para o coração. Pessoas interiores suficientes tinham avançado e dito sim para a cura verdadeira. Há um nível de confiança estabelecido com Norma para facilitar isso.

Sebrina está deitada em suas costas na mesa de massagem. Ela olha para a face de Norma. O amor que é trocado naquele olhar é profundo. Ele fala de muitas vidas compartihadas; da compreensão de uma coragem que será necessária, de ambas as partes, para avançar com esse contrato. Muito é dito sem palavras. Sebrina toca a face de Norma e então fecha os seus olhos, deixando ir.

O que acontece a seguir é o reino da experiência metapsíquica. Eu vejo Sebrina ir para dentro, entrando em um cômodo sagrado no coração. Ela se ajoelha e abre o trinco de uma linda caixa de madeira entalhada. Ela é revestida de cetim vermelho. Abrigada dentro está a brihante energia dourada, segura e esperando. Era eu! Então eu ouço o meu coração explicar que, antes do nascimento original, era sabido que eu teria múltipla personalidade. Que a essência original do bebê seria dividida a fim de preservar o verdadeiro eu. Dessa forma, o contrato poderia ser levado a cabo com a intenção de escolher, nesta vida, retornar totalmente para a Luz. Havia muitos riscos envolvidos e nenhuma garantia de que eu não iria morrer. Mas, foi acordado, eu preciso tentar.

Efetivamente chegar a este espaço na minha vida não é nada menos do que um milagre. A verdadeira essência do eu foi preservada e renasceu, pura e brilhante! Eu sou Serena.

Sorrindo, eu olho para os olhos de Norma. Gentilmente, ela me encoraja a respirar. A voz dela é macia. A cadência é melódica. Ela está totalmente consciente da mudança de energia no corpo. Ela me vê, a nova pessoa, nascida do coração. O trabalho dela é permanecer em quietude e não me alarmar. Ela fala apenas da respiração. Ela guarda a verdade do momento para ela. Eu estou muito frágil, como um pequeno filhote de pássaro que precisa ser recolhido e mantido sob as calorosas penas da minha mãe. Ela me diz para ficar deitada sem me mexer. A respiração dela, o ser dela preenche a sala. Gentilmente, ela me ajuda a sentar. “Pare e respire”, ela avisa, “antes que você saia da mesa.”

Descendo as escadas, ela segura meu cotovelo firmemente. Entrando na cozinha, ela me orienta a sentar em uma cadeira de encosto reto. A voz dela zune em um ritmo suavizante. Eu estou desapegada de tudo. O movimento de descer as escadas me forçou a deixar meu corpo ainda mais. Eu vejo as coisas de longe. Eu noto uma fruta de cor brilhante no balcão. Eu estou ciente do chão frio através dos meus pés com meias. Eu ouço as perguntas de Norma sobre o que eu gostaria para o almoço. E em algum lugar, de fundo, eu ouço o múrmurio de vozes internas tendo uma conversação. O momento é surreal. Capturado como uma foto colorida. Mantido no tempo, rodeado de preto. Isso é como “nós” sempre estivemos vivendo. Momentos parados e contidos, distorcidos no tempo. Cada momento separado do próximo. Isso mantém o sistema funcionando, é claro. Eu não sei disso então. É por isso que eu nasci neste sistema. Para começar a descobrir uma nova forma de viver. Profundamente em meu corpo, com total propriedade; consciente, alegre e segura comigo.

Ver o meu nascimento de forma tão clara me mostra o milagre que eu sou. Eu sei que Mamãe me queria. Eu me sinto amada. Eu literalmente tenho sido o recheio do biscoito. Mamãe no exterior, coração no interior, e ambos me segurando firme, até que eu pudesse me curar. Essa percepção da minha evolução me mostra o quão longe eu viajei. Eu sou realmente abençoada!

 

Tradução: Conrado S. Justus S. Machado

Revisão: Soraya Sotomaior Justus